Estou lendo:O MUNDO EXPLICADO POR T.S. SPIVET - Reif Larsen


10 / 223 words. 4% done!

domingo, 4 de abril de 2010

Volume 1 e 2: Crime e Castigo - Fiódor Dostoievski

Minha opinião: Eu sempre quis ler esse livro, mas sempre deixava para depois... Mas quando tive agora a chance de comprá-lo, eu simplesmente o devorei! A história é desde o inicio envolvente, o personagem Raskólnikov é tão intenso, tão real, cheio de questões que são tão atuais que parece ocorrer nos dias atuais. Raskólnikov é um dos personagens que eu mais gostei dos últimos livros que eu li, ele tenta se explicar, tenta se entender ao mesmo tempo que se nega a isso, é tão complexo por si mesmo... que me encantou.
Pois bem, a história gira em torno de Raskólnikov que comete um crime: assassinato, mas ele tenta explicar esse ato de uma maneira peculiar, já que ele classifica os homens em “ordinários” e os “extraordinários” sendo que esse segundo tem o direito de matar, e claro que esses homens “extraordinários” só surgem entre milhões e milhões de homens...
Dostoievski arrasa nesse romance, as discussões são impressionantes e vale muito, mas muito a pena ler...

Recomendo!

Resumo: O Romance Crime e Castigo (1866) seria de expectativa para uma legião de leitores fascinados com o destino de Raskólnikov, estudante e homicida perseguido pela memória de seu crime. Raskólnikov, paupérrimo, resolve matar uma miserável e inútil usuária, para salvar a si próprio e a sua família, comete o crime, mas logo se vê obrigado a assassinar outra pessoa, inocente, e sai sem ter roubado nada, as dúvidas o devoram, seu duelo de conversas com o comissário de polícia destrói-lhe os nervos, e por fim, confessa o crime a uma prostituta que lhe mostra o caminho do arrependimento e do Evangelho. Dostoiévski identifica o problema central dos limites da liberdade da ação humana, mas também sugere as possibilidades de redenção pelo crime.

Mais: Quando Dostoiévski começou a trabalhar no livro, no verão de 1865, ele estava deprimido e em uma situação financeira difícil devido a dívidas de jogo. Ameaçado por credores, o escritor firmou um contrato nada vantajoso que concedia aos editores inúmeros direitos sobre suas obras seguintes. Em 1866, quando os primeiros capítulos da história começaram a aparecer em periódicos, N. N. Strakhov, um crítico russo do século XIX, observou que o romance era tão poderoso que as pessoas ficavam agitadas ao lê-lo devido à tensão dramática, às descrições fiéis e principalmente às questões morais envolvidas na trama. Há mais de um século críticos buscam enquadrar o romance de Dostoiévski em uma categoria, oscilando em classificá-lo como um romance político, um estudo psicológico ou mesmo um tratado religioso. O certo é que Dostoiévski criou um personagem que é universal, alguém com quem o leitor pode simpatizar, sentir pena e até mesmo se reconhecer - o que fez com que a obra seja cada vez mais lida e apreciada.


Tem filmes desse livro...
 
Resumo: O estudante Rodya é suspenso da escola ao ser acusado de pertencer a um grupo anarquista. Sem dinheiro, ele mata velha dona de uma loja de penhor para roubá-la. É o início de uma tenaz luta psicológica, na qual sua maior inimiga é a sua própria consciência. Baseado no clássico de Féodor Dostoiévski.
 Resumo: (Filme brasileiro baseado na obra "Crime e castigo") Nina (Guta Stresser) é uma jovem de sensibilidade agudíssima e mente fragilizada, que procura meios de sobrevivência numa metrópole desumana. A proprietária do apartamento onde mora, Dona Eulália (Myriam Muniz), uma velha mesquinha e exploradora, parece ter prazer em esmagar a vontade da sua inquilina exaurida. Em meio aos desenhos que faz em toda a parte e vivendo a agitada cena eletrônica de São Paulo, Nina mergulha nos fantasmas de seu inconsciente até acabar envolvida em um crime.

2 comentários:

Radige Hanna disse...

Adorei a resenha... ele é um clássico!

Paulatictic disse...

Olá Radige!
É um clássico e maravilhoso tb, rs...
beijos

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails