Estou lendo:O MUNDO EXPLICADO POR T.S. SPIVET - Reif Larsen


10 / 223 words. 4% done!

domingo, 29 de dezembro de 2013

As Guerras do Mundo Emerso 3: Um novo reino - Licia Troisi

Minha opinião: Não é nenhum segredo que eu adoro os livros da Licia Troisi, que é uma autora fantástica, e sabe escrever muito bem uma historia que te prende do começo ao fim!
Demorou muito, mas finalmente comprei o final dessa trilogia das guerras do mundo emerso, e li em apenas um dia, são 437 páginas de pura aventura. Para quem gosta de fantasia, vai adorar essa coleção! Eu adorei!
Nesse último livro da trilogia das guerras do mundo emerso, reencontramos Dubhe que depois de conseguir encontrar o mago Senar com o Lonerin, tem que partir para a missão que pode salvar a sua vida e se livrar da Fera que pode surgir a qualquer momento, e nessa nova missão a sua companheira é a maga Theana, que mesmo não tendo nada em comum, decide seguir nessa difícil jornada. Enquanto isso o Mundo Emerso segue em guerra e na tentativa de salvar esse mundo, Ido - ah que saudade que estava dele - leva San, neto de Nihal e Senar para o mundo Submerso para esconde-lo dos assassinos da Guilda. 
Olha, eu ficava nervosa e ansiosa a cada página e só de poder rever os personagens queridos da primeira trilogia - tem todas as resenhas aqui no blog, não deixem de ler - me deixou tão nostálgica. Mas apesar disso, também fiquei muito envolvida com o fim dos novos personagens como o príncipe Learco que toma um lugar essencial na narrativa, além disso, não há como não gostar da Dubhe, ela não é como essas heroínas sem graça que fica chorando pelos cantos e esperando alguém salva-la o tempo todo como acontece na maioria dos livros, mas ela sim é que faz a diferença. 
Aliás, eu estava falando desses livros para o meu irmão e ele me disse algo que é verdade, em como a autora faz algo que eu gostei muito, que é colocar sempre uma mulher como a personagem principal, e não são simples personagens, mas sim, muito bem construídas com um histórico muito bem descrito e que fazem sentido durante toda a narrativa. Isso é uma das coisas que eu vejo falhar em muitos livros que eu leio por aí, por que eles ficam sem sentido e os personagens não tem nenhum tipo de personalidade, diferente dos livros da Licia Troisi.
Mas voltando ao livro em questão, se prepare para várias cenas de ação e lutas memoráveis como a do gnomo Ido com o rei Dohor, e de rever alguns personagens como Nihal - ah, foi tão emocionante - e até mesmo de Aster que aparece de um jeito muito interessante. no qual se coloca bem diferente do que imaginávamos, e isso é outra coisa que foi bem legal no livro, por que ficou bem diferente da maioria dos livros de fantasia - quando chegarem nessa parte vão entender; Também tem o San, que ao contrario do que eu imaginava deixa um suspense para a continuaçao dessa saga.
Ah, não deixem mesmo de ler a saga do mundo emerso, e eu já estou em fase de compra para a próxima trilogia do Mundo Emerso, uhu!!!

Resumo: O fim da guerra do Mundo Emerso está muito próximo. E alianças inesperadas podem fazer toda a diferença. Dubhe e Lonerin tiveram sucesso na busca pelo mago Senar, mas, de volta das Terras Desconhecidas, os jovens são novamente enviados em perigosas missões. Em Um novo reino, terceiro volume da série As guerras do Mundo Emerso, Licia Troisi separa seus heróis em missões distintas. Dubhe e Lonerin partem em caminhos diferentes em novas aventuras em busca de uma solução para o fim do conflito. 
Agora, Dubhe tem como aliada Theana, uma jovem maga que estudou com Lonerin. As duas partem rumo ao palácio real na Terra do Sol para matar o cruel Dohor, o ditador responsável pelo selo de Dubhe e que juntou forças com a Guilda dos Assassinos. Porém, a viagem não é fácil e logo as jovens são capturadas pelas tropas do perverso rei. O destino as leva até Learco, jovem príncipe, filho do ditador, que consente que as duas o acompanhem até a corte como escravas. No caminho para Makrat, capital do império, Dubhe e Learco se tornam próximos demais e um amor proibido começa a surgir, colocando em risco toda a missão das jovens. 
Enquanto isso, Lonerin parte ao lado de Senar em busca do antigo amuleto de Nihal. O artefato é a última chance dos rebeldes impedirem o renascimento de Áster, o Tirano. Nesse ínterim, o gnomo Ido toma para si a tarefa de proteger San, neto de Nihal e Senar, o menino que Yeshol e Dohor buscam para usar como receptáculo da alma de Áster. 
Simultaneamente, o Conselho dos Territórios Livres se reúne e decide lançar um decisivo ataque contra a Guilda e o exército de Dohor. E Dubhe vai ser forçada a escolher entre seu novo amor e o futuro de todo o Mundo Emerso. 
Três missões que se cruzam e determinam o destino do Mundo Emerso. Revelações inesperadas, alianças surpreendentes e muita aventura dão o ritmo a Um novo reino. E a italiana Licia Troisi proporciona ao leitor um passeio fantástico rumo a um final apoteótico que faz valer cada etapa do longo caminho.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Aproveite! Promoção de livros por R$9,90

Que delicia!!
Adoro promoções de livros, ainda mais quando eles são baratinhos!!!!
Olha só esses livros por apenas R$9,90! comece o ano bem hein!!!
clique nas imagens e seja direcionado para a promoção!
















A Barca Dos Animais - Rodolfo M. Rezende

Minha opinião: Esse foi um dos livros que meu irmão me deu de natal, ele fez uma pesquisa antes de comprar, por que ele não sabe todos os livros que eu tenho - que são vários - e pesquisou livros desconhecidos mas que eram bons, e um dos que apareceu nessa busca foi o livro do Rodolfo M. Rezende, um autor brasileiro com o livro A barca dos animais.
A única coisa que meu irmão falou sobre o livro, era que se tratava de uma comédia.
Pois então, comecei a ler e em poucas horas terminei, por que ele é curto, e engraçado mesmo, a narrativa foi boa e dava vontade de continuar a ler, os personagens são cheios de valores e características que os marcam. 
A história é uma readaptação da história da Arca de Noé, só que nos dias atuais, e que ocorre em uma cidadezinha escondida do Brasil, nele conhecemos Noé e sua família que decidem construir uma arca, no entanto, algo sempre dá errado, e aparece na história Moisés, Dom Quixote... A fantasia invade a narrativa e ao mesmo tempo que parece que tudo está muito "humano" algo muda e algo sobrenatural começa a ocorrer. Gostei de personagens fortes como o padre que gostava de mentir. 
Eu gosto desse estilo de escrita, já li todas as peças de Ariano Suassuna e cheguei a decorar de tanto que eu lia a mesma peça, acho essa escrita muito gostosa de se ler e cheia de personagens reais que sentem desejo, raiva, e sentimentos muitas vezes que são anulados em alguns livros. 
Vale muito a pena esse livro!!!

Resumo: O que aconteceria se Noé, um visionário, por ordem direta de Deus, começasse a construir uma arca para salvar a si, a sua família e aos animais do dilúvio? E se Moisés, um místico que conversa com Deus entre raios e trovões, fosse contra a construção desta arca, alegando que a vontade divina era aniquilar a humanidade? E o que pensaria Deus, cujo desejo dessa vez é salvar apenas os animais, acompanhando do alto a trama que se desenrola na pequena cidade de Paraíso? No decorrer da narrativa surgem outros personagens: padre Juan, pároco da cidade, para quem a mentira e as mulheres representam os maiores prazeres; Eva, a bela mulher cobiçada pelo padre; Adão, marido de Eva, um garçom que nasceu sem uma das costelas e dom Quixote, que chega à cidade montado em seu Rocinante e é contratado por Noé para vigiar a construção da arca. O resultado é uma história hilariante e imperdível, que mistura realismo fantástico e crítica social. A falta de valores morais, a corrupção, o adultério, o desemprego, são abordados de maneira irreverente pelo autor. A barca dos animais prende a atenção do leitor do início ao fim, comprovando o talento de ficcionista de Rodolfo Motta Rezende que foi apresentado pelo editor Ênio Silveira como um dos mais talentosos escritores da contemporaneidade.

COMPRE AQUI ESSE LIVRO!  - COM 10% DE DESCONTO.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Ratos - Gordon Reece

Minha opinião: Confesso que gostei muito da sinopse do livro e por isso que o comprei - e também por que custava R$ 9,90 no submarino - gosto de livros de suspense com um pouco de mistério, e era isso que eu procurava. 
Bem, a história se desenrola a partir da narrativa em primeira pessoa de Shelley, ela inicia contando que ela e a mãe são como "ratos" que se escondem, não conseguem enfrentar e ficam sempre a mercê dos outros, que abusam delas, por que sempre se colocam como superiores e elas acabam ficando acuadas como ratos.
Shelley nos conta sobre como sofreu bullying na escola e sinceramente, essas cenas foram bem fortes e me deixara nervosa, me dava vontade de entrar na história e fazer alguma coisa, só que Shelley acabava sempre sofrendo quieta e cada vez sofria mais e mais, além disso, sua mãe também estava sofrendo quieta, o marido e pai da Shelley a abandonou por uma mulher bem mais jovem e tentou tirar tudo dela - tanto financeiramente como moral - e as duas decidem deixar tudo e fogem para uma casinha no meio do nada.
No entanto, não se pode fugir sempre não é mesmo? É nesse momento do livro que as coisas comecem a se movimentarem e ambas passam por uma transformação.
Em minha opinião, o autor tentou fazer uma história dramática com momentos de suspense, mas acredito que faltou um pouco na estrutura do texto, sem mais nem menos as coisas aconteciam e mesmo que ele tentasse colocar um sentido, não me pareceu muito envolvente, até a metade do livro, eu sinceramente fiquei empolgada, mas depois, parecia que o autor tentava loucamente achar um final para toda essa trama que inventou, e aí foi que acredito que ele se perdeu.
Mas no todo, o livro foi bom e acho que vale a pena a leitura, principalmente para quem gosta de um suspense.

Resumohelley e a mãe foram maltratadas a vida inteira. Elas têm consciência disso, mas não sabem reagir - são como ratos, estão sempre entocadas e coagidas. Shelley, vítima de um longo período de bullying que culminou em um violento atentado, não frequenta a escola. Esteve perto da morte, e as cicatrizes em seu rosto a lembram disso.

Ainda se refazendo do ataque e se recuperando do humilhante divórcio dos pais, ela e a mãe vivem refugiadas em um chalé afastado da cidade. Confiantes de que o pesadelo acabou, elas enfim se sentem confortáveis, entre livros, instrumentos musicais e canecas de chocolate quente junto à lareira. Mas, na noite em que Shelley completa dezesseis anos, um estranho invade a tranquilidade das duas e um sentimento é despertado na menina. Os acontecimentos que se seguem instauram o caos em tudo o que pensam e sentem em relação a elas mesmas e ao mundo que sempre as castigou. Até mesmo os ratos têm um limite.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Veneno: Saga encantadas - Sarah Pinborough

Minha opinião: Eu ganhei esse livro da fofa da Bruna semana passada, e como ele é tão curto e estava ali na minha frente eu decidi ler, e terminei em três horas de leitura...

Quando a Bruna me deu o livro, disse que o livro reconta as histórias de contos de fadas de um jeito diferente e que eu iria gostar.
Bem, eu li a sinopse e fiquei muito empolgada, eu adoro livros que recontam histórias tradicionais mais que colocam algo totalmente diferente e inusitado, e na sinopse desse livro dizia exatamente isso, em que os vilões e ou os heróis podem não ser quem esperamos, então eu esperava uma madrasta mais legal e uma Branca de Neve bem chatinha, como a maioria das heroínas, no entanto, eu só acertei sobre a Branca de Neve continuar sendo uma chata, fora isso, eu errei...
Como já deu para perceber, esse primeiro livro da saga reconta a estoria da Branca de Neve e os sete anões, com a madrasta má e tudo mais.
Estava tão empolgada com o que eu imagina que poderia ser o livro, que fui lendo e lendo e quando estava no meio do livro... percebi que não vi nenhuma novidade, a história da Branca de Neve continuava a mesma, só que com alguns "poréns" e "porquês", fora isso, as coisas foram do jeito que eu sempre conhecia, confesso que fiquei um pouco desmotivada... Achei tudo muito monótono, não estava gostando de nenhum personagem - nem mesmo os vilões, que são aqueles que eu mais fico interessada.
Mas finalmente algo aconteceu que deixou tudo mais interessante, e aí foram acontecendo algumas sucessões de coisas que foram deixando tudo mais emocionante, e quando terminei o livro eu sinceramente queria que continuasse.
Pois bem, não digo que ele é o melhor que eu li que faz uma adaptação dos contos de fada, porque o melhor continua sendo - A FERA - que eu fiz a resenha aqui no blog, mas acho que ele fica em segundo lugar! Obrigada bruna pelo presente!

Resumo Sexy, sarcástico e de prender a respiração!

Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são para adultos! Não existe 'Felizes para sempre'!
Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? 
E que princesas podem ser extremamente mimadas? 
E que príncipes não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? 
Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? 
Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria 'um final feliz' pode se tornar o pior dos pesadelos! 
Veneno é o primeiro livro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia! 


COMPRE ESSE LIVRO AQUI!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

A GAROTA DOS PÉS DE VIDRO - ALI SHAW

Minha opinião: Eu sei que demorei muito para uma nova resenha, mas estou de volta - pelo menos por enquanto, rs...
E quem me fez voltar dessa vez foi a garota dos pés de vidro, inicialmente, quando iniciei a leitura, pensei que seria um daqueles livros com um toque sobrenatural e que portanto, não haveria nenhuma novidade. No entanto, ao ler as páginas me deparei com algo diferente do que já havia lido, tudo me pareceu tão melancólico - mas não de um jeito ruim - parecia que algo no livro estava escondido, como se precisasse ser descoberto...
Bem, a estória narra o encontro de Midas - que nome mais sugestivo, não é? mas não é a toa - e Ida. Midas é um jovem que adora fotografar e isso passa a ser um dos únicos prazeres na sua vida, aliás, como Midas é tímido, ele usa da fotografia como forma de se distanciar das pessoas, apenas observando. Já Ida é uma moça cheia de energia, comunicativa e que consegue tirar Midas desse lugar "monocromático" que ele fica. 
Até aí, nada de novo, mas Ida tem uma doença que é muito peculiar... ela está se transformando em vidro... e ela retorna para Saint Hauda's onde acredita que pode achar uma cura para sua doença e lá que ela encontra Midas.
Midas é um personagem bem construído, ele é tímido, mas no decorrer do livro vamos encontrando as respostas do por que ele ser tão introvertido, o que achei muito bom da parte do autor, que conseguiu dar sentido aos personagens, além disso, eu sou fã de fotografia e poder ler sobre isso, foi muito bom. Ida também é um personagem muito simbólico e mostra toda a busca por algo que às vezes nem sabemos direito o que é. 
O livro é bem interessante, em que mistura o real com a a fantasia de forma muito simples, bem mas também é interessante primeiramente devido a narrativa, que é muito tranquila e ao mesmo tempo envolvente, o autor conseguiu passar a tranquilidade do lugar onde a estoria ocorria; e em segundo, por que a cada capítulo a estoria ia para o passado, e depois voltava para o presente e assim as lacunas iam sendo preenchidas, sem pressa, de uma maneira que dava vontade de continuar lendo.
Eu gostei dos personagens, da narrativa, das angústias, medos e sentimentos que eram expostos durante o livro, achei tudo muito cativante e muito metafórico também, tanto, que enquanto lia eu fazia mil associações - e adoro quando isso acontece - uma delas, foi sobre o "toque", como "tocar" uma pessoa, um coração, que as vezes mesmo parecendo difícil é possível toca-lo, principalmente quando achamos que a pessoa tem um coração "gelado"...
Ah, fiquei cativada por esse livro, e acho que vale muito a pena.


Resumo: Cenários cinematográficos, paisagens paradisíacas, pântanos congelados com animais transformados em vidro, florestas brancas, penhascos monocromáticos, um oceano de baleias, lendas e águas-vivas. Este é o universo fantástico de Ali Shaw, autor britânico que renova as fábulas e cria uma inusitada história de amor. Midas é um tímido fotógrafo ilhéu. Ida é uma jovem aventureira que vem ao arquipélago de Saint Hauda's Land buscar a cura para sua misteriosa doença. Ela está se transformando em vidro e juntos buscam uma solução. O que eles mais precisam é de tempo - e o tempo está passando rápido. Será que vão encontrar uma maneira de evitar a propagação do vidro?

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails