Estou lendo:O MUNDO EXPLICADO POR T.S. SPIVET - Reif Larsen


10 / 223 words. 4% done!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Nunca Coloque a Mão de um Cadáver na Boca - Dana Kollmann

Minha opinião: Quando eu vi a capa do livro pensei que era algo sobre um psicopata ou pelo menos algo do tipo, mas fiquei mais curiosa em ler depois que vi que era uma ex CSI que contava como foram seus anos como uma perita criminal, isso claro se deve ao fato de eu assistir a série CSI Las Vegas e gostar. Dana Kollmann trabalhou dez anos como uma como uma CSI e logo no começo do livro lemos o seguinte:

“Antes mesmo que você me pergunte, a resposta é não! Não, não, não, não é não! Não, você não consegue obter as impressões digitais deixadas numa pedra! Não, eu não assisto CSI! Não, os peritos criminais não interrogam suspeitos! Não, eu não tive interesse no caso O. J. Simpson! (...) Não, o laboratório criminal não atende somente a assassinatos e crimes de grande repercussão! Não, eu não usava minissaia e salto para trabalhar. (...)”

Ou seja, a autora nos esclarece que nem tudo é como vemos na televisão e que na vida real as coisas são um pouco diferentes. Bem, o livro é dividido em pequenas histórias que aconteceram na vida de Dana durante seus dez anos de trabalho, ela fala de situações surreais e isso inclui o nome do livro que é uma das coisas que aconteceu com ela, sim, ela colocou a mão de um cadáver na boca e o pior e que ficou grudada! Pois bem, imaginem então as outras histórias que ela conta, e cada uma mais surreal que a outra.
Eu achei o livro bom e a narrativa é interessante, para quem gosta do assunto acho que não poderia perder esse livro, mas para quem não gosta é melhor se manter afastado, como também é bom se manter afastado quem espera ler um bom suspense policial, por que disso não tem nada, acho que a autora preferiu partir mais para a parte cômica, por que escreve as situações que vivem de uma forma mais satirizada.
Agora eu vou falar do lado que eu não gostei. Eu me pergunto se ela teve algum dia aulas de psicologia ou nem precisa tanto, talvez de ética e respeito com o outro, sei lá, já que em minha opinião deveria ser importante, afinal ela se depara que pessoas que acabaram de sofrer algum tipo de situação difícil e ela entra em suas casas ou carros e revira tudo em busca de alguma evidencia. Sabe, falo isso por que eu achei que em alguns momentos ela se mostra completamente “ignorante” e até mesmo preconceituosa em relação a algumas pessoas que cruzaram o seu caminho, e achei isso um desrespeito. Tudo bem, que talvez ela deva ter criado uma maneira de distanciamento e a forma como ela ridiculariza algumas pessoas pode ser a maneira que ela lida com sua própria dificuldade, mas eu achei de muito mau gosto alguns trechos do livro, o que é uma pena, por que poderia ter sido melhor. Acho que por isso eu digo que não foi um livro que eu gostei muito, achei bom, talvez desse 2,5 de 5 pontos, é acho que daria isso mesmo.

Resumo: Explicando o que é rigor mortis ou desvendando a arte de tirar impressões digitais de um cadáver à beira da estrada, Dana Kollmann descreve a realidade das experiências de uma CSI (Crime Scene Investigator). Estes relatos abrem mão do glamour para mostrar o que realmente acontece. Dana conta histórias que policiais e CSIs que geralmente não levam para casa, apresentando percepções visuais, olfativas e auditivas da real cena do crime.


ISBN: 8577750477
ISBN-13: 9788577750474
Idioma: Livro em português
Encadernação: Brochura
Edição: 1ª
Ano de Lançamento: 2009
Número de páginas: 278

Tem seriados sobre o tema
Resumo: Um criminoso sempre deixa pistas. É o que mostra a série CSI: Crime Scene Investigation. A série retrata o difícil cotidiano de um grupo de investigadores judiciais da cidade de Las Vegas, analisando os locais onde foram cometidos crimes. Um fio de cabelo, um pedaço de unha, pegadas e impressões digitais: todas estas pistas improváveis são ferramentas para se chegar ao criminoso. Um aparente suicídio pode revelar-se um cruel assassinato, apenas através da análise do tamanho do buraco da bala no corpo. Treinados nos antigos métodos de investigação, os especialistas da série buscam todas as evidências no local do crime. Experiência e instinto também são poderosas armas no combate à violência. A equipe CSI investiga desde casos de abuso infantil até relações com prostitutas que não acabam bem, passando por roubos em lojas, policiais baleados e casos de legítima defesa. Suas conclusões são sempre surpreendentes. O motivo do crime e a identidade do culpado nem sempre são fáceis de serem descobertos.
Resumo: CSI: Miami mostra o trabalho da equipe de investigadores do sul da Flórida que soluciona crimes através da mistura de métodos científicos, técnicas tradicionais, tecnologia de ponta e instinto apurado para descobrir pistas.   Horatio Caine (David Caruso, "Nova York Contra o Crime"), um ex-detetive de homicídios, lidera um grupo de investigação que trabalha para desvendar crimes na região de Miami. Sua equipe inclui Calleigh Duquesne Emily Procter, "The West Wing"), uma bonita sulista bilíngüe com especialização em balística; Tim Speedle (Rory Cochrane), um arrogante, mas competente, investigador com ótima conexão nas ruas da cidade; e Eric Delko (Adam Rodriguez, "Roswell"), um dos maiores experts em bombas e explosivos da Flórida.   Essa equipe conta ainda com Alexx Woods (Khandi Alexander, "NewsRadio"), uma investigadora de homicídios, e Megan Donner (Kim Delaney, "Nova York Contra o Crime"), uma especialista em DNA que acredita na verdade da ciência, em contraponto a Caine, que prefere contar mais com o seu próprio instinto. 

Resumo: Um grupo de investigadores forenses, comandados pelo dedicado e discreto detetive Mac Taylor, usa as mais recentes tecnologias na solução dos crimes na cidade de Nova York. Juntamente com sua parceira, Stella Bonasera - uma mulher apaixonada por seu trabalho -, ele lidera a equipe CSI de detetives e investigadores. Assim como seus companheiros de Las Vegas e Miami, a dupla conduz o dia-a-dia de trabalho acreditando que a pessoas até podem mentir, mas as evidências jamais. Na cidade que nunca dorme, a equipe de CSI Nova York nunca descansa.

3 comentários:

Jéssica Campos disse...

Olha, mesmo os pontos que você considerou como negativo eu gostei, fiquei com muita vontade de ler ele.
ótima resenha

Bjss
www.frozenlivros.blogspot.com

Fábrica dos Convites disse...

Confesso que sou apaionada por todas as série do CSI, e quando li sobre este livro me interessei na hora, e os pontos negativos que você citou, não mudou minha vontade js, Rose.

Radige Hanna disse...

Eu queria muito lê-lo. Ele estava a venda ano passado no site que você indicou aqui no blog, o Memee. Eu comprei outros livros neste site mas não comprei este! Agora pelo que vi o site não está mais em funcionamento... que triste; os livros neste site estavam tão baratos!

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails