Estou lendo:O MUNDO EXPLICADO POR T.S. SPIVET - Reif Larsen


10 / 223 words. 4% done!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Diário de Anne Frank - ANNE FRANK

                                  Minha opinião: Eu sempre quis muito ler esse livro e tinha uma grande expectativa sobre ele, por que além de ter uma história comovente, é um fato real, e ao lê-lo voltei para a época de quando tinha 13 anos, os mesmos pensamentos, mesmo vivendo histórias tão diferentes. Anne Frank era uma garota comum para sua idade, mas que descreve como ela passou esse tempo trancanda em um esconderijo, com sua e mais outra familia.

É um livro interessante, acho que não é para ler direto, por que como toda garota tem crises com a mãe, irmã, e ela relata isso muitas vezes, deixando um pouco cansativo, mas as partes em que ela relata viver naquele ambiente compensa. É ler esse livro é lembrar também de como o ser humano pode ser, e o que as pessoas sentem em uma guerra.


Resumo: "Escondida com sua família e outros judeus em Amsterdam durante a ocupação Nazista na Holanda, Anne Frank com 13 anos de idade conta em seu diário a vida deste grupo de pessoas.
Em 4 de agosto de 1944, agentes da Gestapo detém todos os ocupantes que estavam escondidos em Amsterdam e levam-nos para vários campos de concentração. No mesmo dia da prisão dos pais de Anne, entregam o diário dela para o pai Otto Heinrich Frank. Anne Frank faleceu no campo de concentração Bergen-Belsen no fim de fevereiro de 1945.
Otto foi o único dos escondidos que sobreviveu no campo de concentração. Em 1947 o pai decide publicar o diário, como Anne desejava em vida. O diário está no Instituto Holandês para a Documentação da Guerra. O Fundo Anne Frank (na Suíça) ficou como herdeiro dos direitos da obra de Anne Frank. O pai Otto Heinrich Frank faleceu em 1980.
Na apresentação à primeira edição americana do diário, Eleonor Roosevelt descreveu-o como "um dos maiores e mais sábios comentários da guerra e seu impacto no ser humano que eu jamais lí". O Soviético escritor Ilya Ehrenburg mais tarde disse: "uma voz fala para seis milhões; a voz não de uma sálvia nem um poeta, mas de uma menininha costumeira." Hillary Rodham Clinton, em sua fala para o Elie Wiesel Humanitarian Award em 1994, lê o diário de Anne Frank e o relaciona com acontecimentos contemporâneos como em Sarajevo, Somália e Ruanda.
Depois que receber um prêmio humanitário da Fundação Anne Frank em 1994, Nelson Mandela chamou uma multidão em Johannesburgo, dizendo que ele tinha lido o diário de Anne Frank enquanto estava na prisão e que o "derivou muito estímulo." Sua luta contra o nazismo e o apartheid, explicando o paralelo entre as duas filosofias: "porque estas crenças são patentemente falsas, e porque eram, e sempre serão, desafiados por gente como Anne Frank, eles estão no limite do fracasso."

Tem filme desse livro



titulo original: (The Diary of Anne Frank)

lançamento: 1959 (EUA)
direção: George Stevens
atores: Millie Perkins , Joseph Schildkraut , Shelley Winters , Richard Beymer , Gusti Huber
duração: 180 min
gênero: Drama

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget
Related Posts with Thumbnails